AG News

As novas regras do futebol – 2 tempos de 30 minutos?

O árbitro de vídeo vem dando o que falar na Copa das Confederações. No entanto, ainda é um teste que a FIFA está fazendo.

Só que a International Football Association Board (IFAB), órgão da Fifa responsável pelas regras do futebol, quer fazer mudanças ainda maiores no esporte bretão.

No último dia 17, a entidade publicou um documento em que sugere algumas mudanças na regra do futebol. O documento defende três pontos principais:

  • melhorar o comportamento dos jogadores e aumentar o respeito entre eles e a arbitragem;
  • aumentar o tempo médio de bola rolando nas partidas;
  • aumentar a justiça e a atratividade do esporte.

A mudança mais polêmica é a redução do tempo de partida – de 2 tempos de 45min para 2 tempos de 30min, com paradas no cronômetro quando o lance parar.

A IFAB dividiu suas propostas em três categorias. São elas:

PODEM SER IMPLEMENTADAS IMEDIATAMENTE

  • Aumentar a influência do capitão, tornando-o o responsável pela comunicação entre jogadores e árbitro e o único que poderia falar com ele em lances polêmicos na partida.
  • Um cálculo mais criterioso dos acréscimos, parando o relógio em cobrança de um pênalti, gol, atendimento a um jogador lesionado, punição a atleta com cartões e substituições;
  • Ser mais rígido com a regra dos seis segundos de posse de bola do goleiro.

PRONTAS PARA TESTE

  • Aumentar o rigor em jogadores e times que pressionam e cercam a arbitragem dentro de campo. A punição poderia ser multa ou perda de pontos para esses casos;
  • Mostrar cartões amarelos e vermelhos também para técnicos e outros membros da comissão técnica, tornando a sua exclusão do jogo – quando ocorrer – mais clara;
  • Cobranças de pênalti seguindo o modelo ABBA de alternância entre os batedores, em vez do modelo tradicional ABAB – isso já foi testado no Mundial Sub 20, por exemplo, na disputa de pênaltis entre Portugal e Uruguai, com vitória dos sulamericanos;
  • Permitir que defensores recebam a bola dentro da área na cobrança de um tiro de meta, em vez do goleiro sair no chutão ou no passe longo para fora da área.

DEVEM SER DISCUTIDAS

  • Reduzir o número de substituições caso um jogador do banco receba cartão vermelho. Caso não seja possível retirar uma substituição (ex.: todas as substituições foram realizadas), é retirada do próximo jogo;
  • Parar o relógio quando a bola está fora de jogo nos cinco minutos finais do primeiro tempo e nos dez últimos do segundo;
  • Diminuir o tempo de jogo para dois tempos de 30min.;
  • Estádios com relógios visíveis aos torcedores, que devem estar sincronizados com o dos árbitros;
  • Faltas, escanteios e tiros de meta possam ser cobradas dando o segundo toque na bola – ou seja, o jogador cobraria para ele mesmo;
  • Expulsar jogadores que colocarem a mão na bola para tentar marcar um gol;
  • Punir recuos de bola com pênalti, em vez de tiro livre indireto;
  • O árbitro poderia confirmar gol caso uma bola seja afastada com a mão em cima da linha;
  • O juiz só poderá apitar o final do primeiro ou do segundo tempo caso a bola esteja fora de jogo;
  • As cobranças de pênalti não teriam rebote. Em caso de defesa ou de bola na trave, o goleiro receberia o direito de cobrar um tiro de meta.


Fonte

E aí? Curtiu as sugestões? Será que vão pra frente? Comenta aí!

Seja mais um Geraldo da Arena! Receba as nossas novidades direto do seu e-mail!