AG News

O Fla x Flu vai ser anulado?

O Fla x Flu é um dos clássicos mais famosos do país. No entanto, ele não se tornou destaque desde a última quinta por causa da rivalidade, mas por uma provável falha grave da arbitragem.

Recapitulando para você que vive em Marte: O Flamengo venceu o Fluminense por 2×1, em Volta Redonda, pela 30ª rodada do Brasileirão. No entanto, o Fluminense reclama de um gol anulado por auxílio externo ao espetáculo.

74_hmkfijw

Quando o relógio marcava 39 minutos do segundo tempo, o zagueiro Henrique marcou gol de cabeça, que seria o do empate. O bandeira Emerson Augusto de Carvalho prontamente levanta a flanela, marcando impedimento. Aí rola aquela pressão de sempre dos jogadores na arbitragem por conta do gol anulado. Só que o árbitro Sandro Meira Ricci decide não ir na do assistente e valida o gol. Aí quem chiou foi o Flamengo, e a confusão se formou.

Em vez do juiz mandar um SIGA LA PELOTA, decidiu ser paciente e ouvir os jogadores e as comissões técnicas. E ficou fazendo isso por longos 13 minutos, até que ele invalidasse o lance e a bola fosse reposta pelo goleiro Muralha, do Flamengo.

Confira todo o lance: do gol até o fim do “tempo de pensar” do juizão.

A acusação do Fluminense é que, durante esses 13 minutos, o juiz Sandro Meira Ricci teria sido avisado, por alguém externo ao campo, que a TV apontou impedimento no lance, o que – até o momento – é ilegal.

Já falamos aqui sobre o tal “árbitro de vídeo”, e da ideia da FIFA de implantar essa tecnologia. A CBF até chegou a solicitar uma fase experimental, mas o pedido foi recusado. Somente em alguns campeonatos – como a Copa da Holanda – a prática é usada, mas ainda extraoficialmente. Ou seja, o juiz ainda não pode ser avisado do lance de vídeo.

O oficial é que, segundo a International Board – organização responsável pelas regras do futebol – , não é permitida qualquer interferência externa nas decisões do árbitro. Ele pode consultar apenas os auxiliares e o quarto árbitro.

O Fluminense quer a anulação do jogo (ou seja, o jogo seria realizado novamente, do início) pois o ato de Meira Ricci se configuraria erro de direito do juiz – desconhecimento das regras ou na aplicação dessas regras de maneira errônea.

Será que houve mesmo interferência?

O juiz Sandro Meira Ricci, estranhamente, não explicou na súmula a decisão de anular o gol do Fluminense. Segundo o arbitro o “jogo foi paralizado (sic) por 10 minutos, aos 40 do segundo tempo, pelos atletas de ambas equipes terem protestado contra a decisão da arbitragem em um lance de impedimento”. Ainda segundo ele, “nada houve de anormal”.

No dia seguinte a fato, todos – exceto o Fluminense – achavam que uma denúncia para anular o jogo seria descabida e nunca iria para frente.

No entanto, no domingo, o Esporte Espetacular mostrou uma reportagem no estilo Leitura Labial, em que pegou o inspetor de arbitragem da partida, Sérgio Santos, que também invadiu o gramado, dizendo a árbitro: “A TV sabe. A TV sabe que não foi gol”.

Ele nega ter dito isso a Meira Ricci, mas essa foi uma prova suficiente para o Flu pedir a anulação do jogo.

No dia seguinte, o Fluminense realmente entrou com pedido no STJD de anulação da partida. Era esperada a denúncia, mas não era esperada a resposta – pelo menos, não tão rápido.

O STJD aceitou a denúncia e solicitou a CBF que desconsiderasse, por enquanto, o resultado da partida, até que o processo fosse analisado.

A Procuradoria do STJD também pediu, na segunda, abertura de Procedimento Preliminar para “analisar possíveis infrações ocorridas no Fla-Flu do último dia 13”. Foi solicitado pelo Procurador-geral esclarecimentos da equipe de arbitragem responsável pelo jogo, além do inspetor Sérgio de Oliveira Santos e da Comissão de Arbitragem da CBF.

Com interferência ou não, o certo é que Meira Ricci deve pegar um gancho pesado da Comissão de Arbitragem – dizem até que a pena pode ser de um ano.

Jogo foi anulado?

tabelacbf

Enquanto o STJD julga o fato, o jogo fica temporariamente suspenso – ou seja, o resultado não seria considerado. Na tabela do campeonato não haveriam mudanças nas posições.

O Flamengo continuaria vice-líder, mas com 7 em vez de 4 pontos atrás do Palmeiras. O Fluminense segue com 46 pontos em 7º lugar. Ambos aparecerão com 30 jogos.

Como dissemos acima, essa suspensão é somente enquanto o processo corre. Até lá vai ficar essa defasagem de um jogo. Se o jogo for mesmo anulado, aí sim, a partida seria realizada novamente do início.

E o Flamengo?

prsidente-fla-imagem

Na disputa pelo título nacional, o Flamengo leva a denúncia até que com um certo bom humor. Após tretar com o presidente do Palmeiras e do Fluminense, Eduardo Bandeira de Melo, presidente rubro-negro, nem liga:

– Eu não vi a reportagem porque estava no avião, mas pelo que vi não houve nada. Tem muita gente que gostaria de melar uma vitória incontestável do Flamengo, mas acho que não vai dar não. Não temos motivo de entrar com representação. O Flamengo não teme, porque não deve. O Flamengo ganhou o jogo. Se quer melar, tem que buscar algo mais consistente

( ͡° ͜ʖ ͡°)

Sobre mais uma incursão do Flu na justiça, Bandeira trollou:

– E o que o Flamengo tem a ver com isso? O Flamengo ganhou a partida no campo. O Fluminense pode fazer o que quiser. Pode até pedir a anulação do impeachment da Dilma!

Fonte e Fonte

E aí, o que você acha? A partida deve ser anulada ou não? Comenta aí!

folder AG News
Clubes citados no post
  
Seja mais um Geraldo da Arena! Receba as nossas novidades direto do seu e-mail!