AG News Arena Olímpica

ParaPlantão #ArenaRio #7

As paralimpíadas continuam com força total. Chegou a hora de conferirmos o que de mais importante aconteceu nos estádios e arenas do Rio de Janeiro!

FATOS

balao

– Não falamos ontem, mas foi tenso: durante a madrugada de segunda-feira, um balão caiu sobre a Arena Carioca 3, danificando o sistema de ventilação. A prova de esgrima em cadeira de rodas foi atrasada em alguns minutos, e o público demorou um pouco para entrar.

– Já hoje, uma mochila foi esquecida na arquibancada ao final da sessão, deixando a organização preocupada. Antes que o esquadrão antibombas detonasse o objeto suspeito, sua dona voltou para pegar. Tinha esquecido…

HERÓIS

img_0621

– O paratleta da Namíbia, Gideon Nasilowski, foi ovacionado pela torcida no Parque Aquático no final da segunda bateria eliminatória dos 50m livre S3. Gideon, vindo de um país sem qualquer tradição na natação, chegou 20s depois do campeão da série, e com os alto-falantes do estádio já anunciando a próxima série. Ele nasceu com Artrogripose Múltipla Congênita (AMC), doença rara que causa múltiplas contraturas articulares e impede o desenvolvimento dos membros. Ao sair da água recebeu muitos aplausos da torcida presente, que deixaram o nadador emocionado e grato por, pela primeira vez na vida, “ter sido tratado sem discriminação, como um esportista”.

– A alemã Franziska Liebhardt conquistou a medalha de ouro do arremesso de peso classe F37, foi diagnosticada com uma doença autoimune em 2009, recebeu novos pulmões de doadores anônimos quando os seus começaram a falhar. Ela sempre agradece os doadores (repassa cartas ao centro de doações, que repassa ao doador), mas dessa vez, o agradecimento será mais que especial.

– O neozelandês Liam Malone passou por muitas dificuldades após a morte de sua mãe. Ele tinha dificuldades em manter a promissora carreira de velocista bi amputado e, sem dinheiro para comprar um par de próteses, ele quase se entregou ao álcool. Decidiu, então, pedir ajuda a um programa de televisão de seu país. Uma vaquinha levantou 20 mil dólares neozelandeses (cerca de R$ 48 mil) e assim ele comprou as próteses com as quais melhorou seu desempenho e conquistou, até agora duas medalhas na Paralimpíada do Rio na categoria T44: a prata nos 100m, no último sábado, e o ouro nos 200m, nesta segunda-feira.

BRASIL

andre-brasil-e-philipe-rodrigues-660x416

– O voleibol sentado do Brasil está na semifinal no masculino e no feminino. As mulheres terminaram em 1º no seu grupo, após derrotar os Países baixos por 3 sets a 0. No masculino, o Brasil levou um susto da Alemanha, mas conseguiu a vitória de virada por 3 sets a 1, se classificando em 2º do grupo.

– Mais uma medalha histórica para o tênis de mesa brasileiro: Bruna Alexandre, a Bruninha, tornou-se a primeira mulher brasileira a subir no pódio no esporte, com o bronze da classe 10.

– O Brasil ocupou duas das três posições do pódio dos 100m estilo livre da classe S10 da natação. Com a prata de André Brasil e o bronze de Phelipe Rodrigues, o país dominou a prova, mesmo que André tenha ficado decepcionado por ter ~cansado no final~ perdendo o ouro para o atleta ucraniano.

– Daniel Mendes, Diogo Ualisson, Felipe Gomes e Gustavo Araújo faturaram a medalha de ouro no revezamento 4x100m classe T11-13. Eles criaram para si um apelido, no mínimo, inusitado: os Backfavela Boys. Fazem mais sucesso “nas pistas” que o grupo americano.

– O brasileiro Mateus Evangelista levou a medalha de prata no distância da classe T37. Sua disputa contra o atleta da China foi salto após salto. Mateus quebrou o recorde mundial, mas o chinês quebrou novamente, garantindo o ouro.

– O fundista Odair Santos conquistou sua segunda medalha nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, novamente de prata. Depois de subir ao pódio nos 5000m classe T11, nesta terça-feira (13) o brasileiro ficou em segundo lugar nos 1500m T11. A vitória ficou com Samwel Mushai Kimani, do Quênia, o turco Semih Deniz ganhou bronze

– Depois de muita polêmica nos últimos dias, Terezinha Guilhermina lutaria para conquistar sua primeira medalha no Rio 2016, nos 200m rasos T11. Só que a brasileira acabou desclassificada por ter queimado a largada. O ouro na prova ficou com a britânica Libby Clegg. Menos papo e mais corrida, Terezinha!

– Jovane Guissone, campeão paralímpico de esgrima em cadeira de rodas em Londres 2012, não conseguiu repetir o desempenho na espada da categoria B. Jovane caiu nas quartas-de-final e deixou a Arena Carioca 3 sem medalhas em seu primeiro dia de combates nos Jogos.

– A seleção masculina de Goalball do Brasil passou invicta pela primeira fase. Derrotaram a Alemanha por 10 a 4

– Pela primeira vez na história, o Brasil tem um medalhista Paralímpico no halterofilismo. O autor do feito é o baiano Evânio Rodrigues, de 32 anos, que ganhou a prata na categoria até 88kg. Evânio ergueu 210kg na segunda de suas três tentativas na final. A marca foi a mesma do mongol Sodnompiljee, que ficou com o bronze por ter peso corporal superior ao do brasileiro (87,53kg contra 86,35kg).

– Brasil e Irã jogaram pela liderança do Grupo A do torneio de futebol de 5. Disputada sob forte calor, a partida terminou em 0 a 0 e garantiu aos brasileiros a liderança da chave. O adversário do Brasil será a China, que perdeu para a Argentina na disputa de pênaltis, após tempo normal empatado – o que empatou as seleções em todos os critérios de desempate.

– A seleção brasileira feminina está fora da disputa por medalha no basquetebol em cadeira de rodas. O Brasil foi derrotado nas quartas de final pela seleção dos Estados Unidos por 66 a 35.

Não deixe de conferir nossa página especial e o Quadro de Medalhas (terminamos em 5º ontem)!
Faltou alguma coisa? Comenta aí!

Seja mais um Geraldo da Arena! Receba as nossas novidades direto do seu e-mail!