Análise Brasileirão Série C 2020

O futebol brasileiro vem retornando aos poucos (e precipitadamente) por conta da paralisação em virtude da pandemia do COVID-19.

O início do Campeonato Brasileiro, previsto para maio deste ano, precisou ser adiada, mas a CBF está retomando as atividades num ajuste de calendário.

Nos próximos dias, vamos apresentar brevemente quais são os clubes que participam das divisões do nosso futebol. Para começar, vamos de terceirona – que tem novidades nesse ano!

A primeira fase continua a mesma (dois grupos de 10 equipes, que jogam entre si em turno e returno). No entanto, a polêmica segunda fase não será mais em mata-mata.

Os 8 classificados (4 de cada grupo) são divididos novamente em dois grupos.

Os dois primeiros desses grupos se classificam para as semifinais e, garantem a vaga para a Série B em 2021.

É difícil fazer qualquer prognóstico agora, principalmente neste ano de 2020 com essa pandemia de COVID19. Logo, nos baseamos principalmente no nosso RAC (a edição de 2020 sairá nos próximos dias aqui na Arena).

Grupo A

Léo Moura é o jogador principal do Belo na temporada. O time quer voltar a segundona, e é um dos favoritos a classificação.

Tirando o Vila Nova, goiano que vem da Série B do ano passado, é um grupo Norte-Nordeste.

O Jacuipense, da Bahia, e o Manaus, de Amazonas, são os novo times da Série C neste ano, vindos da D.

O Manaus vem mostrando uma ascensão rápida, visto que existe há pouco mais de sete anos.

Temos duas rivalidades estaduais nesse grupo: uma paraibana (o Clássico Tradição entre Botafogo e Treze) e outra paraense (Remo x Paysandu, uma das mais pegadas do país).

Maranhão (com o Imperatriz), Ceará (com o Ferroviário) e Pernambuco (com o Santa Cruz) também tem representantes no grupo.

Por causa da pandemia, o Campeonato Amazonense foi cancelado, deixando o Manaus parado por alguns meses.

Até o fechamento desse post, o Campeonato Goiano não havia retornado da paralisação por conta do COVID19.

Pará, Paraíba, Bahia, Maranhão, Pernambuco e Ceará já voltaram as atividades para decidir os seus estaduais.

O Santa Cruz e o Botafogo, porém, tem desafio a mais antes da Série C, pois estão na Bahia decidindo a Copa do Nordeste.

Palpitão AG: Paysandu, Santa Cruz, Remo, e Botafogo-PB

Grupo B

O Brusque surpreendeu sendo o campeão da Série D do ano passado, mas terá de cortar dobrado se quiser se manter na terceirona.

Um grupo que reúne time do sul e sudeste do país.

Londrina, Criciúma e São Bento foram rebaixados da Série B do ano passado, e se juntam a Brusque e Ituano (vindos da Série D) como novidades na competição deste ano.

Os mineiros Boa Esporte e Tombense, os gaúchos Ypiranga e São José e o Volta Redonda, do Rio, completam o grupo.

O Voltaço está há alguns dias sem partidas, após participar da precipitada retomada do Campeonato Carioca.

Os catarinenses voltaram recentemente a ativa no campeonato local, mas ele foi novamente suspenso por conta da explosão de casos de COVID19 no estado após uma desastrosa retomada promovida pelos órgãos públicos.

No Rio Grande do Sul, muita polêmica pelo retorno do campeonato, que voltou recentemente.

Apesar do Paulistão ter voltado, a Série A2 (que o São Bento joga) não retomou. Assim como em Minas, em que o campeonato está em vias de retornar.

Prognóstico: Londrina, Criciúma, Volta Redonda, Ituano


A Série C começa no dia 8 de agosto, e a decisão tem data agendada para 31 de janeiro do ano que vem.

Quem vai subir para a Série B em 2021? Quem vai descer? Comenta aí!

One thought on “Análise Brasileirão Série C 2020

Deixe uma resposta