Análise Copa América 2019 – Grupo C

Nesse grande mês de junho com diversos campeonatos esportivos, o futebol masculino do Brasil se reúne na Copa América.

Realizada no Brasil, nossa Seleção briga para ser campeão mais uma vez.

A partir de hoje, vamos fazer um apanhado rápido das 12 seleções que jogam a competição. Vamos começar com o Grupo C, com a maior campeã e a atual bicampeã!

Uruguai

Nº de participações: 44
Melhor participação: 15 vezes campeão (1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1926, 1935, 1942, 1956, 1959, 1967, 1983, 1987, 1995 e 2011)
Olho nele(s): Arrascaeta (Flamengo), Suarez (Barcelona), Cavani (PSG)

Maior vencedora da Copa América, a Celeste vem embalada com a melhor campanha sulamericana da Copa de 2018 – parando só na campeã França nas quartas-de-final.

Com uma seleção basicamente “gringa” – apenas um jogador atua no Uruguai – Oscar Tabarez tem força máxima a seu dispor para tentar mais uma conquista continental.

Tem um grupo complicado pela frente com Japão e Chile também em boa fase, mas os Uruguaios tem mais lenha pra queimar, e devem se classiicar em 1º do seu grupo.

Prognóstico: chega as semifinais

Equador

Nº de participações: 27
Melhor participação: 4º lugar (1959 e 1993)
Olho nele(s): Arboleda (São Paulo), Enner Valencia (Tigres-MEX)

Uma das duas seleções da CONMEBOL que nunca levantaram a taça da Copa América, o Equador chega em baixa (pelo menos no futebol “adulto”).

Não conseguiu vaga na Copa do Mundo após um início surpreendente de eliminatórias.

Para a Copa América, a grande surpresa da lista de Hernan Gomez foi a ausência de Sornoza, jogador que vem se destacando no Corinthians.

Arboleda, destaque do São Paulo, foi convocado.

O Equador pegou um grupo complicadíssimo (o mais próximo de Grupo da Morte possive), e vai ter que se superar para se classificar.

Prognóstico: Fica na 1ª fase

Japão

Nº de participações: 2
Melhor participação: Primeira fase (1999)
Olho nele(s): Takefusa Kubo (FC Tokyo)

A seleção japonesa disputa seu segundo torneio continental no ano: jogou a Copa da Ásia em janeiro, perdendo a decisão para o Catar.

Ano passado, QUASE elimina a Bélgica nas oitavas da Copa do Mundo, mostrando que não é a baba de anos atrás.

Convidado pela CONMEBOL para “compor os 12”, o Japão quer ter mais bagagem e se preparar bem para o grande momento do esporte: os Jogos Olímpicos, ano que vem, em Tóquio.

Pegou um grupo cascudo com Uruguai, Chile e Equador, mas pode surpreender.

Prognóstico: se classifica para as quartas

Chile

Nº de participações: 39
Melhor participação: Campeão (2015 e 2016)
Olho nele(s): Arturo Vidal (Barcelona) e Alexis Sánchez (Manchester United)

A atual bicampeã da América (a Copa América Centenário conta como título no geral) foi uma das grandes decepções das eliminatórias da Copa 2018 (ficando atrás dos micos de Itália e Holanda).

Dominante por quase 3 anos – chegando até a decisão da Copa das Confederações de 2017 – não conseguiu nem ao menos ir para a repescagem intercontinental para a Copa da Rússia.

Agora, com Reinaldo Rueda no comando (e já balançando no cargo, graças aos péssimos resultados em amistosos), a seleção chilena busca o tricampeonato.

A grande polêmica foi a não ida de Claudio Bravo para a Copa América, segundo a imprensa, por pedido dos próprios jogadores.

Prognóstico: se classifica para as quartas

Jogos

16 de junho – 19h
Uruguai x Equador – Estádio Mineirão, Belo Horizonte

17 de junho – 20h
Japão x Chile – Estádio do Morumbi, São Paulo

20 de junho – 20h
Uruguai x Japão – Arena do Grêmio, Porto Alegre

21 de junho – 20h
Equador x Chile – Arena Fonte Nova, Salvador

24 de junho – 20h
Chile x Uruguai – Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

24 de junho – 20h
Equador x Japão – Estádio Mineirão, Belo Horizonte


Amanhã vamos ver o grupo da Argentina! Não perca!

Um comentário para “Análise Copa América 2019 – Grupo C

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *