Calendário brasileiro no futebol em 2020 terá novidades!

O Calendário do futebol brasileiro para 2020 foi divulgado oficialmente.

Ao contrário do que se prometia, o calendário para o ano que vem vai desfalcar ainda mais os clubes brasileiros.

Além das Datas FIFA, a Copa América (que terá uma nova edição ano que vem) e o Torneio de Futebol dos Jogos Olímpicos (caso o Brasil se classifique em janeiro) podem desfalcar os clubes por até 1/3 do Campeonato Brasileiro!

A CBF já havia divulgado que não vai parar o Brasileirão por conta da edição da Copa América de 2020, que acontece na Colômbia e na Argentina em junho.

Sendo assim, times com jogadores convocados podem ter esses desfalques por até dez rodadas se o Brasil conseguir chegar a decisão.

Além disso, na quarta-feira seguinte ao fim da Copa América tem jogo pelas quartas-de-final da Copa do Brasil.

Como é um torneio chancelado pela FIFA, não há a possibilidade de recusa do clube liberar jogador – como vem acontecendo ultimamente para os amistosos.

Indiretamente, é como se a CBF punisse o clube que contrata ou forma atletas de qualidade, já que não é apenas a prata da casa que vai jogar amistosos – muitos estrangeiros que jogam aqui são convocáveis por seus países.

Datas-Fifa

A FIFA reserva cerca de 9 dias em meses determinados do ano para que as Seleções realizem amistosos – por causa da regra de um jogador não poder jogar até 66h depois da última partida, só se consegue jogar duas vezes na Data-FIFA.

A CBF afirmou que o Campeonato Brasileiro pararia por causa dessas datas (hoje isso não acontece).

E, realmente, não há nenhuma partida marcada entre quinta e terça de uma janela de Data-FIFA. O problema é que tem jogo marcado na QUARTA exatamente posterior ao fim da janela.

Ou seja: se eventualmente Everton Cebolinha e Arrascaeta jogassem por suas seleções numa terça, pelo menos no rigor da letra, perderiam um Flamengo e Grêmio pelo Brasileirão numa quarta ou quinta-feira.

E isso também vale para as eliminatórias da Copa de 2022: Uma rodada está marcada para 8 de setembro mas, dois dias depois, está marcada a final.

A CBF deve remanejar jogos dos times com jogadores convocados para a quinta ou sexta-feira.

Estaduais enxutos

Nem tudo é má notícia no calendário. A redução dos estaduais, principais pontos de atenção do nosso calendário, é modesta mas é importante: de 18 para 16 datas.

Claro, isso causou ainda certa polêmica, como no caso da FERJ que literalmente deu de ombros pra CBF e decidiu manter as 18 datas mesmo assim.

Outras novidades

Além disso, a CBF divulgou que a Supercopa do Brasil, torneio que reúne o Campeão Brasileiro e o Campeão da Copa do Brasil (O Athletico-PR) será no fim do mês de janeiro, “abrindo” o calendário.

A Série C se mentem com o mesmo regulamento, mas será “esticada” na duração para que encerre no final do ano.

A mudança mais drástica com relação a regulamento foi a Série D:

Foram aumentadas as rodadas da fase de grupos (6 para 14).

Foi instituída a Fase preliminar: 8 clubes que pegaram as 2as vagas nos estados com pior ranking na CBF.

Os 4 vencedores vão para a Fase de Grupos.

Atualmente, as oito federações estaduais com pior ranqueamento são: Roraima, Amapá, Rondônia, Espírito Santo, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Distrito Federal.

Os 60 clubes previamente cadastrados mais os classificados da Fase Preliminar são divididos em 8 chaves de 8 grupos, com jogos de ida e volta.

Os 4 melhores passam para a 2ª fase, e se enfrentarão até um campeão sair.

===

E aí, o que achou da CBF? Vontade graaaande…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *