F1 fora da Globo em 2021!

A Globo vem revendo seus contratos de transmissões esportivas nesse ano de 2020.

Dentre as grandes mudanças dessa revisão está a não renovação do contrato com a Fórmula 1.

A negociação junto ao Liberty Media, grupo que atualmente detém os direitos comerciais da F1, não avançou devido aos altos valores pedidos para a renovação do contrato.

A cúpula da emissora já informou aos patrocinadores que não haverá renovação.

Apesar da negociação, essa decisão, segundo apuração do site Grande Prêmio, já havia sido tomada pela cúpula da TV Globo antes mesmo do atraso do início do campeonato em virtude da pandemia de COVID19.

O corte não é apenas na F1. A Globo também conversa para encerrar contratos com a FIFA e a CONMEBOL, o que pode tirar a Copa do Mundo e a Libertadores da grade global, por exemplo.

A Globo era um dos únicos canais de TV aberta a exibir as corridas do Mundial de F1 no mundo.

Isso porque, as outras opções de TV aberta no país (SBT, Record, Bandeirantes e RedeTV!) ou não tem dinheiro para bancar um contrato desse ou preferem priorizar o futebol no seu “portifólio” esportivo.

História da F1 na Globo

Apesar da primeira transmissão de Fórmula 1 no país ter sido realizada na TV Record, foi na Globo (que havia adquirido os direitos em conjunto com a Tupi em 1972) que a categoria se popularizou no Brasil.

Em 1980, a Bandeirantes adquiriu os direitos e transmitiu todas as corridas de forma exclusiva.

Um ano depois, a Globo voltou a assumir o comando exclusivo das transmissões, fato que dura até os dias de hoje.

Virou tradição acordar no domingo de manhã pra ver uma corrida de F1

E agora?

O acordo é puramente financeiro, mas trará prejuízos além do dinheiro.

A categoria principal do automobilismo não tem pilotos brasileiros desde a saída do Felipe Massa.

No entanto, na categoria de acesso (a Fórmula 2) ou outras categorias de automobilismo, vemos alguns piloto brazucas se destacando e, caso mantendo boas atuações, podem até ter uma chance na F1.

No entanto, eles são exceção à regra. Há anos o automobilismo brasileiro vive em crise.

Sem campeonatos de destaque, vivendo apenas de Stock Car, não há planejamento para manter (ou no caso mais realista, reviver) a tradição de grandes pilotos brasileiros.

Além disso, o GP Brasil está ameaçado, já que o contrato atual encerra-se este ano.

Com o surgimento do ridículo projeto do Autódromo em Deodoro (que não é consenso no Rio), há um conflito de interesses entre os atuais promotores do GP (aliados do ex-chefe Bernie Ecclestone) com a Liberty.

Isso pode acabar tirando o GP Brasil do calendário.

Ao fã, resta (por enquanto) se contentar com o acesso ao serviço de streaming F1 TV ao Brasil (que chega independentemente do contrato da Globo), ou torcer para que outra emissora pegue a F1 para transmitir.

A Disney, dona dos canais ESPN e FOX Sports no Brasil, está atenta (nos EUA e na América Latina, é o grupo que transmite a F1 na TV a cabo).

Fonte e Fonte

E aí? A F1 fora da TV aberta vai deixar saudades? Comenta aí!

 

Deixe uma resposta