A volta da Geral para o Beira Rio

Uma reivindicação “antiga” das torcidas pelo Brasil parece tomar força, mesmo com o Poder Público tentando “atrapalhar”.

Colocamos antiga entre aspas porque não é efetivamente de muito tempo, mas desde que as arenas surgiram no Brasil, com a Copa 2014.

As arenas decretaram o fim das “gerais”, setores sem cadeiras (e, por consequência, com ingressos mais baratos). Esse fim gerou reações negativas, como uma “gourmetização” do futebol, já que nas novas arenas, os ingressos estava proibitivos para as classes mais baixas da nossa pirâmide social.

Remando contra a maré, o Internacional – cuja Arena recebeu jogos da Copa do Mundo – a retirada de cadeiras de um setor do estádio.

Contra o Aimoré, pelo Campeonato Gaúcho, o Colorado conseguiu uma liberação parcial desse setor do Corpo de Bombeiros e da Brigada Militar do RS, para fins de teste.

O comunicado, na época, emitido pelo Inter foi o seguinte:

Comunicado Setor sem Cadeiras – evento teste

O Sport Club Internacional comunica que recebeu a liberação do Corpo de Bombeiros e da Brigada Militar para realização de evento teste no setor sem cadeiras, localizado na curva sul do estádio Beira-Rio. O evento será realizado durante a partida deste domingo (10) contra o Aimoré válida pela 9ª rodada do Campeonato Gaúcho. O teste se dará com público de no máximo 2,5 mil sócios, ocupando, assim, a metade da capacidade total do setor, com acesso restrito pelo portão 7 (sete), sem comunicação com os demais portões.

[…]

Os preços praticados serão os mesmos dos setores livres do Estádio.

Observação:
• Sócios que já fizeram o check-in podem cancelar e refazê-lo especificamente no portão 7.
• Sócios que compraram ingressos pela internet e/ou portal de voz poderão, até a abertura dos portões (14 horas) realizar o cancelamento e efetuar a nova compra para o portão 7.
• Para aqueles que efetuaram a compra na bilheteria deverão comparecer ao mesmo local para o cancelamento e nova compra.
Informação sobre os menores de idade e responsáveis:
Os menores de 12 anos somente poderão acessar o setor sem cadeiras juntamente com o responsável e ambos deverão portar documento.

Segundo o Inter, o teste foi um sucesso, levando a diretoria a estender a capacidade para sua totalidade no jogo contra o Alianza Lima, pela Libertadores.

Aí é que mora o problema.

Clube x Poder Público: Geral com organizadas?

No evento-teste, foram liberados os acessos aos sócios, mas ventilou-se a possibilidade de liberar acesso a torcedores de Torcidas Organizadas.

O Ministério Público (MP) recomendou que todas as organizadas identificadas ocupem APENAS esse espaço sem cadeiras do estádio. Segundo o MP, essa recomendação segue o parecer da Brigada Militar do RS.

O Internacional, no entanto, não entende assim.

Confira abaixo o que dizem Brigada Militar, MP e Inter:

Brigada Militar

“(A BM recomenda) Que todas as torcidas organizadas sejam alocadas nesta área (setor sem cadeiras), por ser um local próximo ao PTri da Brigada Militar [posto da polícia no estádio], facilitando o acesso em possível desordem. A concentração da entrada das torcidas organizadas em apenas um portão de acesso facilita sobremaneira a atuação da Brigada Militar na revista dos materiais permitidos, pois possibilita melhor alocação de efetivos no policiamento nos arredores e espaços internos. Há de considerar que historicamente, as áreas das torcidas organizadas são os locais onde potencialmente podem ocorrer fatos graves, tais como tráfico de entorpecentes, desordens e depredação de patrimônio, dentre outras. A concentração das torcidas possibilitará a concentração de efetivos aptos a intervirem no intuito do restabelecimento da ordem, propiciando, assim, um ambiente mais sadio e familiar dentro da praça desportiva. Ademais essa área ainda, proporciona um tratamento isonômico entre as diversas torcidas organizadas, compartilhando o mesmo espaço”

Ministério Público

O MP expediu uma recomendação para que (o acesso) fosse adequado às normas de segurança. A BM sempre entendeu dessa maneira na Arena. Quando (a BM) deu a autorização, foi o que ela fez de sugestão, para maior controle, para facilidade de abordagens. A gente tem constantemente essa preocupação de ter um tratamento isonômico. Por isso se fez essa recomendação nesse sentido
titular da Promotoria do Torcedor do Rio Grande do Sul, Márcio Bressani

Inter

Nós entendemos que, com o aval dos Bombeiros e da Brigada, está liberado. Então abrimos. Fizemos um evento teste, deu tudo certo. O Ministério Público quer que todas as organizadas fiquem lá. Nós nunca pensamos nisso. Pensamos em fazer um espaço para quem quer ver o jogo de pé. (Acomodar todas as organizadas lá) não é o desejo da torcida, nem o nosso – afirma o vice de patrimônio Marcelo Poloni.

Esse projeto iniciou 2 anos atrás, e foi um pedido da torcida para que o clube voltasse a ter um clima menos “teatro” e mais “estádio”.

Fonte

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *