Como os estaduais voltam da parada do COVID19?

Uma das maiores pandemias da humanidade com certeza vai mudar a forma como vemos o mundo: o COVID19.

O COVID19 exigiu um contra-ataque global contra a doença respiratória para evitar o colapso nos sistemas de saúde e a crescente taxa de mortes, evidenciando a organização – e a falta dela – frente a um grande desafio que envolve as vidas de todos.

O esporte não ficou alheio a isso (por mais que alguns “agentes” discordarem de alguns pontos que a pandemia apresentou na nossa sociedade).

Desde que a OMS declarou o COVID19 uma pandemia (ou seja, uma epidemia que afeta o mundo inteiro), governos tentam limitar a aglomeração de pessoas, e os esportes foram afetados.

No Brasil, estávamos no meio da disputa dos campeonatos estaduais.

Como a organização é de cada federação estadual, cada uma tenta se organizar para a retomada, mesmo com os números de contaminados e de mortos ainda altos.

Nosso país virou o foco da pandemia por conta de diversas ações equivocadas do governo federal e estaduais. Uma retomada agora pode ser um tiro no pé, no que diz respeito a saúde publica.

Vamos analisar como os campeonatos estaduais tentam voltar a atividade em meio a pandemia:

Norte

FAF
O Amazonas foi o primeiro a ter estadual oficialmente encerrado em 2020 por conta do COVID19

O Amazonas, até agora, é o único estado a oficialmente cancelar o campeonato.

O estado passou por uma grave crise na saúde pública por conta do COVID19, e ainda se recupera. Logo, decidiu encerrar o campeonato. Ainda não há decisão sobre haver um campeão ou não.

Nos demais estados da região, as Federações ainda aguardam a decisão das autoridades estaduais com relação a “relaxamento” para decidirem o retorno ou não das atividades.

Nordeste

Barbalha covid19
Em muitos estaduais, clubes podem não ter jogadores com contrato vigente disponíveis para a retomada dos estaduais. Um exemplo é o Barbalha, do Campeonato Cearense.

Quase todos os estados do Nordeste ainda aguardam as autoridades sanitárias para retomarem suas atividades.

No Ceará e em Pernambuco, os clubes já estão voltando a fazer atividades presenciais, mas ainda sem data para o retorno dos estaduais.

Em Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba, nada de previsão.

O Sergipe até chegou a dar uma data para o reinício das atividades presenciais dos clubes no início do mês de junho, mas essa data acabou sendo cancelada sem nova previsão.

Bahia, Piauí e Maranhão estão proibidos de retomar até os treinamentos das equipes enquanto não vencerem os decretos de isolamento, nada antes do fim desse mês de junho.

Um adendo: a Copa do Nordeste pode ser decidida da mesma forma que a Champions League: os jogos restantes numa única sede, como uma “Copa do Mundo”.

Centro-Oeste

goianao covid19
Ainda não há definição, mas as chances do Goianão acabar fora de campo são grandes

Goiás foram um dos estados em que a quarentena foi mais tardia para iniciar, e isso pode afetar o rumo do campeonato estadual, que pode nem terminar dentro de campo.

No Distrito Federal, a previsão de retorno dos jogos para julho, mas ainda é necessário o aval das autoridades da saúde, haja vista o claro desrespeito ao isolamento na sede do poder nacional.

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul ainda estudam como o retorno se dará, e já tiveram várias datas para a retomada, mas que acabaram sendo canceladas.

Sudeste

gabibol covid19
O Flamengo é exemplo na gestão do elenco para a retomada, mas está apressando o retorno sem necessidade e no meio da pandemia

A região que reúne mais casos é a mais polêmica em relação ao comportamento frente a retomada durante a pandemia.

No Espírito Santo não há prazo para retorno, mas é certo que a Copa ES dificilmente será realizada em 2020, por conta da crise financeira que assola os clubes.

Em São Paulo, infelizmente, temos recordes de casos e de mortes de COVID19 no país.

O campeonato paulista parou perto do fim da primeira fase, mas ainda não tem previsão de retorno.

Os 4 grandes concordaram em colaborar na testagem e nos protocolos para o retorno, mas não há data definida ainda.

Em Minas, estuda-se retornar o campeonato estadual inclusive com os jogos restantes nos Centros de Treinamentos dos times em vez dos estádios, como o Mineirão e a Arena Independência, mas sem uma data definida.

O caso mais absurdo, definitivamente, é no Rio de Janeiro.
Segundo estado do país em casos e mortes, já tenta o retorno mesmo em meio ao pico da pandemia.

A FERJ, o governo estadual e municipal tentam forçar o retorno, inspirados no Flamengo, que já treina há quase um mês, com um protocolo de saúde dos atletas sendo bem elogiado dentro e fora do país.

Porém, nem todo mundo pode ter esse privilégio do rubronegro. Por isso, Fluminense e Botafogo são contrários à retomada do campeonato no momento.

O absurdo retorno foi marcado para a última quinta-feira, mesmo sem escutar o governo e os profissionais de saúde.

[Caso retorne, coloque aqui o que aconteceu]

Sul

Gremio covid19
Protesto dos jogadores do Grêmio antes da parada do Gauchão, pela insistência da Federação em continuar o torneio em meio a pandemia

Os três estados da região sul tiveram poucos períodos de isolamento rigoroso, intercalados com retomadas e novos fechamentos quando os casos disparam.

A primeira federação (inclusive no país todo) a anunciar um plano de retorno foi a catarinense.

A federação indica o retorno para o próximo dia 8 de julho, com as partidas das quartas de final. Não haverá presença do torcedor.

No Rio Grande do Sul, já tivemos muitas datas para retorno, mas no fim a Federação Gaúcha pretende voltar no 19 de julho.

Já o Paraná aguarda o aval dos órgãos de saúde para a retomada dos treinamentos.

Se acabasse agora, quem seriam os campeões?

santo andre covid19
Santo André campeão paulista? Se a FPF não retomar o estadual, isso é possível

Sabemos que o calendário brasileiro já é normalmente apertado, e com a pandemia do COVID19 a situação só piorou.

Assim como no Amazonas, existe a possibilidade de alguns estaduais terminarem rapidamente ou nem sequer acabarem dentro de campo.

O Brasileirão aguarda essas definições para começar a edição de 2020, pressionando ainda mais as federações.

E SE elas não conseguirem continuar? Quem seriam os campeões? Vamos ver abaixo, relacionando o campeão ao clube com melhor pontuação, já campeão de turno e em locais em que essa definição pode ser imaginada.

Pernambuco: Santa Cruz
Paulista: Santo André
Paranaense: Coritiba (mas o torneio parou nas quartas-de-final)
Paraibano: Atético-PB
Mineiro: América-MG
Goiano: Atléico-GO
Gaúcho: Indefinido (Caxias ou Grêmio?)
Cearense: Ferroviário
Carioca: Indefinido (Flamengo ou Fluminense?)
Baiano: Bahia
Amazonense: Cancelado
Acriano: Galvez
Alagoano: Murici
Amapaense: Santos
Brasiliense: Gama
Capixaba: Vitória
Maranhense: Moto Club
Matogrossense: Cuiabá
Sulmatogrossense: Aquidauanense
Paraense: Paysandu
Piauiense: Altos
Potiguar: ABC
Rondônia: Porto Velho
Roraima: GAS
Catarinense: Avaí
Sergipano: Confiança
Tocantinense: Palmas

Fonte e Fonte.

O que será do estadual? Será que eles valem mais do que os torneios cancelados durante a pandemia? Comenta aí!

One thought on “Como os estaduais voltam da parada do COVID19?

Deixe uma resposta