Perfil AG: Oscar Schmidt

Na Arena Perfil dessa semana, vamos contar um pouco da história de um dos maiores jogadores de basquete brasileiros. Vamos ver um pouco mais de Oscar Schmidt!

Oscar Daniel Bezerra Schmidt é considerado um dos maiores jogadores de basquetebol de todos os tempos, mesmo sem nunca ter atuado na NBA.

Nasceu em Natal, Rio Grande do Norte, em 1958, para onde o seu pai, militar de ascendência alemã, havia sido transferido.

Alguns anos depois, em 1970, sua família mudou-se para Brasília.

Ele é o maior pontuador da história do basquete, com 49.737 pontos, marca essa alcançada no dia 27 de outubro de 2001, em partida válida pelo campeonato carioca.

O recorde anterior era da lenda da NBA Kareem Abdul-Jabbar.

No entanto, essa numeração de cestas é extra-oficial, pois em diversos jogos no Brasil não se registravam súmulas.

Em jogos defendendo o Sírio e Palmeiras, por exemplo, as médias de cestas nas partidas não registradas foram calculadas pelo seu biógrafo, o jornalista e escritor Odir Cunha, com auxílio do próprio Oscar.

No início da década de 1980, um fato inusitado aconteceu: Oscar foi draftado na 6ª rodada pelo New Jersey Nets no draft da NBA de 1984, mas recusou a oferta.

O motivo? queria se manter como “amador” e continuar a jogar na Seleção Brasileira – a NBA não autorizava seus jogadores a jogar por suas seleções nacionais.

Isso mudou após o Panamericano de 1987, em Indianápolis – EUA, onde a Seleção Brasileira derrotou a Americana (que atuava somente com jogadores universitários) na decisão.

Foi um dos maiores feitos da história do basquete mundial, e foi um dos momentos esportivos mais marcantes do Brasil após o tricampeonato mundial de futebol em 1970.

Já aos americanos, só voltariam a vencer em casa (estavam invictos até então) quando o Dream Team surgiu, modificando a regra da proibição da NBA para seleções nacionais.

Oscar participou de 3 Campeonatos Mundiais, sendo 2º jogador que mais vezes vestiu a Camisa da Seleção Brasileira em Campeonatos Mundiais – 33 (atrás apenas de Ubiratan, com 34).

Seus feitos na Seleção e em clubes fora da NBA o colocaram como um dos 50 Maiores Jogadores de Basquete da FIBA em 1991.

Além disso, em 2010 ele foi incluído no Hall da Fama da FIBA e, em 2013, no Hall da Fama de basquete dos EUA “Basketball Hall of Fame”.

Oscar se aventurou na política na eleição de 1998, quando concorreu a uma vaga no Senado Federal. Foi derrotado por Eduardo Suplicy, desistindo de outros cargos políticos desde então.

Desde 2011, luta contra um câncer no cérebro. Apesar de ter evoluído bem, o próprio afirma que “nunca vai deixar de fazer quimioterapia”.

Uma das homenagens mais marcantes para Oscar foi sua participação no All Star Weekend da NBA em 2017. Além de ser reconhecido pelo Brooklyn Nets (antigo New Jersey Nets, que teve o convite de draft recusado por Oscar), pode jogar pela primeira vez na NBA, fazendo 4 pontos no Jogo das Celebridades.

Tudo que envolveu esse episódio é retratado no documentário da ESPN “A Estreia”.


Quem merece uma homenagem aqui na Arena Perfil? Comenta aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *