Bob Marley e futebol, uma relação intensa

Para celebrar o dia do reggae (que será comemorado amanhã), nada mais justo que lembrar seu ícone máximo: Bob Marley.

E o que Marley tem a ver com esporte? Tudo. Inclusive, infelizmente, a sua morte precoce.

Filho de pai inglês, Robert Nesta Marley não conviveu o suficiente com o pai para ganhar o apreço pelo futebol.

“Deve ser por conta dos meus genes”, explicava Marley.

“Futebol é liberdade”

O futebol realmente era uma paixão, assim como a música, ligado ao cotidiano do cantor.

“Se quer me conhecer de verdade, você precisará jogar futebol contra mim e os Wailers”.

Se para os músicos o esporte servia de relaxamento antes de concertos ou nas folgas entre as jornadas de gravação, dizem que para o cantor poderia não ser só apenas um hobby.

O jogador Alan Skill Cole, um dos grandes jogadores jamaicanos da história, contou ao jornal argentino ‘Olé’

“Bob gostava de ser meia-atacante ou até mesmo centroavante. Uma vez jogamos juntos no Estádio Nacional da Jamaica para cumprir um sonho dele. Até levantaram uma estátua dele, em sua memória”

De paixão futebolística, alguns afirmam que o pequeno Boys Town FC, time da capital jamaicana, Kingston, tricampeão nacional, era o seu time de coração.

Fora do país, o apreço vinha para o Brasil: o Santos de Pelé. O passado e o presente de glórias do Santos e de um dos grandes ídolos de sua vida, o cativou.

Uma pelada que mudou tudo

O esporte que ele tanto amava também foi um marco para o seu triste fim.

Em 1977, Bob Marley sofreu uma terrível lesão no dedão do pé durante uma “pelada” na Inglaterra.

Bob Marley acabou, com essa lesão, descobrindo um melanoma malígno. A unha do cantor caiu por conta da infecção resultante da lesão, evidenciando o problema.

Os médicos recomendaram então a amputação do dedo, mas Marley não concordou.

Para a filosofia rastafari, o ‘corpo é um templo imodificável’.

Aos poucos, o câncer se espalhou, até que no dia 11 de maio de 1981, com apenas 36 anos, Bob Marley morreu em Miami.

Certa vez, um jornalista francês o questionou: ‘O que é o futebol?’. ‘Liberdade. O futebol é liberdade’, respondeu Marley.

E essa liberdade ficou estampada até mesmo no seu enterro. Bob foi enterrado com Uma guitarra, uma planta de ‘marijuana’ e uma bola de futebol.

O futebol homenageia Bob Marley

A paixão de Bob Marley pelo futebol é sim correspondida. Dois casos ilustram bem essa relação.

Bohemian

O Bohemian FC, clube da primeira divisão do futebol da Irlanda lançou, em 2019, um uniforme AWAY homenageando o cantor de reggae.

A homenagem é uma lembrança de um show do cantor jamaicano ocorrido em 1980 no estádio Dalymount Park, petencente ao Bohemian.

A apresentação é lembrada até hoje pelos presentes. Segundo o próprio Bohemian:

“A camisa dá um toque à história e ao lugar especial do estádio no coração dos torcedores do nosso time de futebol e da música”

Ajax

O Ajax, clube holandês, também homenageia o cantor, e o início da homenagem foi inusitado.

Tudo começou com uma visita do Ajax ao Cardiff City, no País de Gales, em amistoso de pré-temporada.

A partida acabou 0x0 e, ao final, foi solicitado que os torcedores holandeses permanecessem no local até que os torcedores galeses saíssem.

O então locutor do estádio, Ali Yassine, resolveu manter os visitantes animados enquanto esperavam a vez deles:

“No fim do jogo, a segurança decidiu manter os torcedores do Ajax no estádio e me pediram para tocar alguma música. Eu comecei com Bob Marley. Eles começaram a dançar, bater palmas e cantar junto. Quando eu fui embora do estádio pensei: ‘Uau'”

Ali nascia um hino da torcida do clube: a música “Three Little Birds”, um dos maiores clássicos do cantor.

Apesar disso, somente 4 anos depois a música de Bob Marley vingou como canto oficial da torcida, quando o Ajax visitou o Manchester United pela Liga Europa.

Em 2018 Ky-Mani Marley, filho de Bob, foi convidado para assistir a uma partida do Ajax pela Eredivisie e se emocionou com a torcida.

“Meu pai era um grande fã de futebol. Ouvir cerca de 60 mil pessoas cantando em um estádio, não em um show, mas em um jogo, seria muito emocionante para ele. Saber que o trabalho dele tocou tantos corações seria incrível para ele”

Fonte, Fonte e Fonte.


Para fechar, vamos ouvir o canto da torcida do Ajax com o sucesso de Marley no jogo do Old Trafford contra o United:

Deixe uma resposta