#EsportePelaDemocracia

No momento em que o mundo combate a pandemia do COVID19, o Brasil passa por um momento delicado nas suas instituições democráticas.

Muitos movimentos favoráveis ao presidente e suas ideais quase sempre antidemocráticas desafiam os outros poderes da República, e isso vem preocupando a sociedade, principalmente por não ser o momento para isso.

Para combater esse movimento, vários esportistas aposentados e na ativa se juntaram em um manifesto pela democracia e defesa dos direitos humanos, do meio ambiente e da liberdade de imprensa.

O “Esporte pela Democracia” surgiu da iniciativa do ex-jogador de futebol e comentarista Casagrande.

A ideia foi bem aceita e se espalhou rápido. Segundo Casagrande:

“Liguei para a Isabel, como sempre faço quando penso em formar algum movimento como este. Ela topou na hora e já falou com Ana Moser, Fabi e Joanna Maranhão. Eu comentei com o Raí e assim foi”

Não são apenas os esportistas que podem assinar.

Você também pode! Basta acessar no site oficial e preencher nome completo, profissão e e-mail.

Clique na imagem, conheça o Manifesto e assine você também!

A ideia de Casagrande é que o grupo deixe o campo virtual, mas em virtude da pandemia, isso terá que esperar.

“Uma pena que estamos no meio de uma pandemia e não podemos sair das nossas casas, pois a nossa intenção é de ir às ruas mesmo. Pacificamente, sem conflito, sem confronto, mas mostrando a nossa cara e o que queremos fazer”.

Enquanto isso, as reuniões do grupo acontecem virtualmente, discutindo as próximas ações após o período de isolamento.

Já vimos isso antes?

O movimento foi muito relacionado ao que ocorreu na década de 1980, quando o Brasil estava no final do Regime Militar, e que se almejava voltar a votar para presidente.

O “Diretas Já” teve apoio de artistas de várias áreas, jornalistas e, claro, esportistas, como os jogadores do Corinthians – representados por Sócrates – que haviam desenvolvido um regime democrático no Timão, a “Democracia Corinthiana”.

Somado o movimento aos atos públicos contra manifestações antidemocráticas realizadas pelas torcidas organizadas, nos dá um cenário interessante e bem parecido com o dos anos 80.

Fonte

Vamos juntos!

Nós também assinamos o manifesto! Entendemos que o esporte, como instrumento essencial no desenvolvimento mais igualitário da sociedade, precisa SIM se manifestar contra os mandos e desmandos da política nacional.

E cada vez mais é necessário se posicionar. Pelo esportista, pelos dirigentes, pelo povo que torce. Todos amamos o esporte e queremos que todos também se sintam assim.

Porem, quando situações de injustiça, violência e desrespeito a outras pessoas ou ao meio ambiente são “passado pano” até mesmo por esportistas que, vivenciando as dificuldades em fazer sucesso ou mesmo fazer o que gosta, abre mão do caráter por “ideais mesquinhos”.

Enquanto esse perfil existir, vamos continuar denunciando tudo o que for em desacordo com o que acreditamos: TORCER (de forma saudável) é o nosso esporte!

Deixe uma resposta