Perfil AG: São Marcos

Todo domingo a Arena Geral homenageia um astro do nosso esporte aqui no Perfil AG.

Hoje, dia do aniversário do Palmeiras, vamos homenagear um dos ídolos recentes do clube, que completou 45 anos nesse mês de Agosto. Vamos falar de Marcos Roberto Silveira Reis, ou o São Marcos!

Marcos iniciou sua carreira como jogador das categorias de base do Lençoense, da cidade de Lençóis Paulista, interior de São Paulo.

Um fato importante dessa época foi que ele chegou a treinar no Corinthians nesse período, mas acabou não ficando no Parque São Jorge. Revela o dirigente João Sérgio de Morais, hoje presidente do clube de Lençois:

“Ele ficou três meses só treinando (no Corinthians). Um dos diretores do Alvinegro tinha um filho que jogava na equipe e, por isso, engavetaram os documentos do Marcos para ele não jogar a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Então, o Marcos me ligou e pediu para eu buscá-lo. Eu fui lá, e esse diretor passou e ouviu o Marcos falar para ele: “Estou indo embora para Lençóis, mas eu vou ser jogador de futebol e vou jogar contra o Corinthians”

Foi vendido ao Palmeiras em 1992, e virou o 3º goleiro do Verde. Ficou na condição de reserva até 1999, quando saiu da reserva para virar o maior destaque da inédita campanha do título da Libertadores pelo Palmeiras.

Suas mais memoráveis atuações naquela competição foram nos dois jogos contra o Corinthians, nas quartas-de-final. Foi eleito o melhor jogador e revelação da Libertadores de 1999, além de ganhar o apelido que o consagrou: São Marcos.

No ano seguinte, o bi continental não veio, mas veio talvez a defesa mais emblemática da carreira do goleiro, nas semifinais contra – olha só – o Corinthians.

A semifinal foi decidida nas penalidades, e Marcos defendeu a última cobrança, feita por Marcelinho Carioca, ídolo da torcida rival.

Em 2001, já com Felipão, que treinou o goleiro no título do Verdão em 1999, Marcos assumiu a titularidade da Seleção Brasileira na reta final das eliminatórias.

No ano seguinte, sagrou-se campeão mundial na Copa da Coréia/Japão, levando apenas quatro gols, sendo apenas UM no mata-mata.

Voltando ao Brasil, recusou proposta do Arsenal para permanecer no Palmeiras, que havia sido rebaixado naquele ano para a Série B.

“Deixei de ser apenas um jogador de futebol quando recusei uma proposta de R$ 45 milhões para jogar no Arsenal, da Inglaterra, e preferi disputar a Série B do Brasileiro pelo Palmeiras.”

Ficou no clube, onde foi campeão da Série B em 2003 e campeão paulista em 2008.

Uma série de lesões atrapalharam bastante a carreira do goleiro que, mesmo com idas e vindas, sempre voltava a ser titular do time.

Nos 3 últimos anos de sua carreira, contusões e dores musculares afligiram o jogador, que não conseguia encadear uma série de partidas consecutivas.

No início da temporada de 2012, em comum acordo com a diretoria do Palmeiras, anunciou sua aposentadoria dos gramados.

Seu último jogo como profissional foi no dia 18 de setembro de 2011, empate por 1 a 1 contra o Avaí, em Florianópolis, pelo Campeonato Brasileiro.

Seu jogo de despedida foi em 11 de dezembro de 2012, num amistoso entre Seleção Brasileira da Copa de 2002 e Palmeiras da Libertadores de 1999.

A partida terminou na madrugada do dia 12, sendo isso proposital em homenagem a camisa 12 usada por ele durante sua carreira.

Após a aposentadoria, Marcos foi nomeado embaixador do Palmeiras, e recebeu um busto na sede do clube, em referência a ser um ídolo do alviverde e por nunca ter disputado partidas por outro clube sem ser o Palmeiras.

Como “bom” contador de estórias, Marcos já participou de diversos programas contando causos que aconteceram com ele e, geralmente, com outros colegas nas equipes por onde ele passou. Aqui temos um compilado de algumas delas:

Títulos importantes

Palmeiras

Copa Libertadores da América: 1999
Copa Mercosul: 1998
Campeonato Brasileiro Série A: 1993 e 1994
Copa do Brasil: 1998
Copa dos Campeões: 2000
Campeonato Brasileiro Série B: 2003
Torneio Rio-São Paulo: 1993 e 2000
Campeonato Paulista: 1993, 1994, 1996 e 2008

Seleção Brasileira

Copa do Mundo: 2002
Copa das Confederações: 2005
Copa América: 1999


E aí, quem merece homenagem aqui na Arena? Comenta aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *