10 fotos emblemáticas do esporte

Hoje, 8 de janeiro, comemora-se o Dia do Fotógrafo.

Apesar da tecnologia atual permitir que praticamente qualquer um produza fotos de qualidade, a fotografia ainda é uma arte, na medida que “captura” cenas que significam muito mais que os olhos podem perceber.

Além do simples registro da imagem, momentos emblemáticos da história do esporte foram registrados pelas lentes de fotógrafos, onde esses profissionais – de propósito ou não – deixaram seus cliques para a posteridade.

Aqui temos uma relação de fotos que registram a história esportiva sob as competentes lentes dos fotógrafos – que serão citados, obviamente, quando essa fonte estiver disponível.

A piscada de Ayrton Senna (1989)


Imagem: Evandro Teixeira

No dia 26 de março de 1989, data do GP do Brasil de Fórmula 1 daquela temporada, foi registrada pelo fotógrafo Evandro Teixeira uma das famosas piscadelas de Senna para o chefe da McLaren Ron Dennis antes das corridas.

Evandro já registrara cenas emblemáticas nas suas lentes, mas essa ele guarda como especial carinho por ter, digamos, “perseguido” ela durante todo o fim de semana de GP.

Mike Tyson x Evander Holyfield (1997)

Imagem: VJ Lovero

Um dos momentos mais inacreditáveis do esporte aconteceu no dia 28 de junho de 1997, quando dois dos maiores pugilistas do momento, Evander Holyfield e Mike Tyson, se enfrentaram. Tyson buscava revanche contra Holyfield, que havia ganhado por nocaute técnico no seu primeiro embate, um ano antes.

Valendo novamente o cinturão da WBA dos pesos médios, a luta foi paralisada no terceiro round por conta de uma MORDIDA de Tyson na orelha de Holyfield, que foi obviamente desclassificado, tendo sua licença para lutar temporariamente revogada.

Jesse Owens contra Hitler (1936)

Foto: Association Press

Os Jogos Olímpicos de 1936 aconteceram em Berlim, na Alemanha. Um ano antes do início da terrível Segunda Guerra Mundial, o mundo já estava em ebulição.

Hitler tentou usar o movimento olímpico para enaltecer o seu doentio ideal da supremacia da “raça ariana”. Ele não esperava que um americano negro o humilhasse publicamente, vencendo as provas mais nobres do atletismo.

Jesse Owens terminou a competição com quatro medalhas de ouro. Na foto que ficou para a história, um desses pódios, durante a execução do hino norte americano.

A mão de Deus (1986)

Imagem: Steve Powell

O dia 22 de junho de 1986 ficou marcado na história do futebol. Argentina e Inglaterra decidiriam uma vaga nas semifinais da Copa do Mundo no México, sendo essas nações envolvidas num conflito armado durante a década de 1980 com as Ilhas Maldivas.

O que ocorreu no jogo foi emblemático. Maradona entrou definitivamente no panteão de jogadores do futebol com sua incrível atuação.

Um gol em que ele ṕarte da defesa e dribla quase todo o time para decidir o jogo já seria o suficiente, mas o que ocorreu antes disso foi mais marcante: um gol marcado de mão: a “Mão de Deus”.

Obviamente a malandragem dele não foi honesta, mas é inegável que o lance marcou a história do futebol. Nas lentes do fotógrafo, o momento inegável do lance.

O coração de Pelé (1970)

Imagem: Luiz Paulo Machado

Após retornar com o tricampeonato mundial, o Brasil fez amistoso contra o México em 30 de setembro de 1970 no Maracanã.

Pela lente do fotógrafo, uma foto em um momento emblemático: o suor “desenhou” um coração no uniforme canarinho do Rei do Futebol.

O momento foi tão “sortudo” que Luiz precisou desmentir durante muito tempo que a foto era uma montagem…

Panteras Negras (1968)


Imagem: Neil Leifer

Em 1968 os EUA viviam o auge do conflito racial na sua sociedade.

A politica racial americana estava sendo desafiada por diversos movimentos e personalidades, como o pastor batista Martin Luther King.

Os Jogos Olímpicos daquele ano, na Cidade do México, foram palco para uma manifestação contra essa nefasta política racial.

Os velocistas americanos Tommie Smith e John Carlos, medalhistas de ouro e bronze, respectivamente, na prova dos 200m rasos daquela edição olímpica, fizeram o gesto característico do grupo Panteras Negras durante a premiação, no pódio.

O ato fez com que o COI, que não gostou de ter o movimento olímpico envolvido com política (?) fossem expulsos do movimento olímpico, e quase perderam suas medalhas, mas o ato rodou o mundo.

Muhammad Ali x Sonny Liston (1965)

Imagem: Neil Leifer

Cassius Clay, depois conhecido como Muhammad Ali, foi o maior pugilista de todos os tempos. E é o único esportista a ter duas fotos nessa galeria.

Na primeira, uma de suas mais impressionantes performances nos ringues.

No dia 25 de maio de 1965, Ali lutou uma revanche contra Sonny Liston, pelo título mundial dos pesos pesados.

A luta foi ridiculamente rápida: 2 minutos. O gancho que derrubou Sonny – depois chamado de soco fantasma – foi o causador da emblemática foto.

Brandi Chastain decidindo a Copa do Mundo Feminina (1999)

Imagem: Robert Beck

A Copa do Mundo feminina de 1999 consagrou de vez o esporte nos EUA. A decisão, contra as chinesas, foi tensa, sendo decidida apenas nas penalidades.

Coube a Brandi Chastain bater o pênalti decisivo que deu o título as americanas dentro de casa.

Apesar dos EUA já terem vencido a competição (na primeira edição, coincidentemente na China), o título em casa foi importante para o esporte, principalmente pela comemoração de Brandi, que tirou a camisa, como “””um jogador masculino faria”””.

Obviamente ela usava um “top esportivo”, mas seu gesto espontâneo na sua merecidíssma comemoração causou críticas, elogios e a mostra que o esporte precisa ser mais igualitário e sem preconceitos.

Usain Bolt olhando seus concorrentes enquanto corre (2016)

Imagem: Kai Pfaffenbach/Reuters

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, marcou a despedida de um mito do esporte.

O jamaicano Usain Bolt, 8 vezes campeão olímpico, marcou sua passagem no atletismo com um domínio impressionante, batendo recordes sem aparentar fazer muito esforço.

Uma foto que exemplifica bem isso foi batida durante a semifinal dos 100m rasos. O fotógrafo pegou o momento em que Bolt “dá uma olhadinha” para ver a distância dele para os adversários, mas não aparentava estar se esforçando muito, como os demais.

Na época dos memes, a imagem rodou o mundo como nenhuma das outras imagens dessa galeria rodou.

Muhammad Ali x Cleveland Williams (1966)

Imagem: Neil Leifer / Ali-Williams

A foto que encerra essa galeria é novamente com Muhammad Ali, e novamente num momento marcante de sua carreira.

Em 14 de novembro de 1966, Ali nocauteou Cleveland Williams no terceiro round, numa de suas mais emblemáticas atuações nos ringues.

A câmera, alojada no “teto” do ringue, registrou o momento em que Williams está estirado no chão enquanto Ali está no canto oposto, celebrando sua vitória.

Hoje em dia, um “take” desses nem é tão complicado de fazer, com o advento dos drones. O que dá uma mágica toda especial a foto, feita há mais de 50 anos.

Esperamos que todas essas fotos te inspirem a fazer as suas próprias!

Curtiu a galeria? Faltou alguma foto? Comenta aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *