10 craques do nosso futebol que surgiram na Copinha

A Copa São Paulo de Futebol Júnior é um dos campeonatos de categorias de base mais famosos do país e  chega a sua 50ª edição.

Celeiro de craques para o país, teve vários grandes jogadores que, no futuro, seriam multicampeões em clubes brasileiros e estrangeiros.

Se agora vemos Vinicius Junior, Rodrygo, Paulinho e Paquetá com um grande futuro pela frente, já vimos grandes jogadores brasileiros iniciando suas carreiras no torneio que sempre inicia o ano do futebol.

Nesse post separamos 10 craques que iniciaram suas carreiras na Copinha (com menção honrosa). Confira:

Kaká

Kaká surgiu para o grande público na Copa SP de 2001, na qual o São Paulo foi vice-campeão. Passou a integrar o elenco principal do Tricolor no mesmo ano. Seu desempenho foi tão bom que, no ano seguinte, estava na Copa do Mundo sendo campeão mundial.

São Paulo, Milan, Real Madrid e Orlando City são clubes por onde o melhor jogador do mundo em 2007 (o último antes de 2018 de um terráqueo) passou, se destacou e ganhou títulos.

Raí

Raí é sinônimo de São Paulo, mas surgiu no futebol jogando a Copinha de 1983 pelo Botafogo de Ribeirão Preto. Foi de lá que ele também iniciou sua carreira, chegando a ser convocado pela Seleção nessa época.

Foi para o São Paulo ainda em 1987 e por lá conquistou o mundo (literalmente). PSG e Seleção Brasileira (com título mundial no currículo) tiveram Raí a sua disposição em campo.

Cafú

Depois de ser dispensado em várias peneiras, Cafú jogou a Copinha de 1988 pelo São Paulo, com uma decepcionante eliminação ainda na fase de grupos.

Na época, jogava de ponta, e se destacou no elenco principal do Tricolor em anos seguintes. Com o passar do tempo, foi deslocado para a direira, mas sempre mantendo o seu protagonismo.

Palmeiras, Roma, Milan e Seleção Brasileira, viram o talento do jogador e vários títulos levantados por ele (inclusive ele é o único jogador a disputar 3 finais de Copas em sequência).

Neymar

Antes de ser campeão por Santos, Barcelona, PSG e Seleção Brasileira, se tornar o jogador com transação mais cara do futebol mundial e ser um dos maiores jogadores da atualidade, Menino Neymar ficou nas oitavas da Copinha.

Em 2009, com o Santos, marcou três gols na competição. No mesmo ano, foi alçado ao time principal, e o resto é história.

Marquinhos

Um dos melhores zagueiros do mundo defendendo o PSG e a Seleção Brasileira, foi campeão da Copinha em 2012 defendendo o Corinthians.

Logo após a competição foi chamado por Tite para integrar o elenco profissional do Timão. Após ser multicampeão no Corinthians, foi vendido para a Roma, onde também virou ídolo.

Dida

Pertencente a geração vitoriosa do Vitória (com o perdão do trocadilho), foi 3º lugar na Copinha de 1993. No ano seguinte, foi vice-campeão brasileiro pelo Leão da Barra.

Passou por Cruzeiro, Corinthians e Milan, além da Seleção Brasileira, chegando no TOP de goleiros mundiais.

Casemiro

Esteve na vitoriosa campanha do São Paulo na Copinha de 2010, e foi integrado no elenco principal logo depois.

Não agradou 100% o torcedor são paulino, mas quando se transferiu para a Europa (mais precisamente para o Real Madrid Castilla) a coisa mudou de figura.

Depois de passar pelo Porto, onde se destacou, voltou ao Real Madrid, de onde só sai machucado ou suspenso (ah, na Seleção acontece isso também).

Gabriel Jesus

Centroavante na Copa 2018 e jogador do atual campeão inglês Manchester City, Gabriel Jesus surgiu na Copinha de 2015, quando o Palmeiras foi eliminado na semifinal.

Subiu ao profissional rapidamente, mostrando o seu talento na Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão até ir para a Europa em 2017.

Fred

O novo Rei dos Stories do Instagram também atuou na Copinha, em 2003. Foi dele o lendário gols mais rápido da história do futebol brasileiro, quando ele atuava pelo América-MG. O único gol do coelho na partida, aos 3s17, contra o Vila Nova-GO.

OK, foi eliminado nessa partida (ainda na primeira fase), mas deixou sua marca com recorde Guiness.

Depois disso, foi efetivado pelo time mineiro, e não parou mais. Cruzeiro, Lyon, Fluminense e Seleção Brasileira (inclusive com duas Copas) são suas passagens no futebol.

Robinho

Menino Robinho disputou a Copinha de 2002 pelo Santos, mas caiu nas oitavas-de-final. Só que essa derrota fez muito bem a ele, que foi integrado ao profissional no mesmo ano, e venceu o último Brasileirão mata-mata pedalando na final contra o Corinthians.

Real Madrid, City, Atlético-MG, China, Turquia, Seleção Brasileira… Pedala muito o Robinho!

Menção Honrosa

Dener

Um dos títulos mais lembrados pelo torcedor da Portuguesa foi a Copinha de 1991, e um dos craques da competição foi o jovem Dener. Nessa época ele já jogava pelos profissionais, e tinha apenas 19 anos.

Melhor jogador daquele ano no torneio de base, foi emprestado para Grêmio e Vasco, onde se destacou. Seu talento encantava a todos.

Só que um trágico acidente de carro em 1994 no Rio de Janeiro ceifou precocemente sua vida.

Em sua homenagem, nesse ano de 2019, o gol mais bonito da Copinha ganhará o Troféu Dener, iniciativa semelhante ao Prêmio Puskas, da FIFA, para o gol mais bonito da temporada.

Fonte e Fonte

Quem se destacará na 50ª edição da Copinha? Comenta aí!

Ah, e não deixe de participar do nosso Censo AG!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *