Dez jogadores TOPs em seleções FLOPS

O futebol mundial é cada vez mais “democrático”. Muitos grandes jogadores em escala mundial surgem de países sem tanta tradição no esporte bretão.

Alguns deles se sobressaem tanto que, se decidissem pela naturalização para algum outro país como Alemanha, Espanha, Itália, etc, deixariam suas marcas no rol dos grandes ídolos desses países.

No entanto, suas seleções são tão “menos fortes” do que o torcedor espera que praticamente o jogador precisa carregar os colegas nas costas.

Nessa lista, dez jogadores TOP (entre os melhores do mundo) em seleções FLOP (que, sem eles, seriam ainda piores):

Haaland – Noruega

Iniciando nossa lista temos um jogador que vem mostrando um talento e um faro de artilheiro impressionante.

O norueguês Haaland surpreendeu o mundo no Mundial Sub-20 da Polônia, quando se tornou artilheiro da competição fazendo gols em uma única partida: NOVE gols em Honduras.

Descoberto nos clubes noruegueses para jogar no Red Bull Salzburg, chegou no Borussia Dortmund em 2020 e conquistou seu espaço igualando a marca do artilheiro Lewandowski (outro que está na lista) na metade do tempo na temporada!

O torcedor norueguês espera que, juntamente com outra estrela precoce do futebol nacional, Oodegard, a seleção norueguesa possa voltar aos bons momentos da década de 1990, em que foi a Copa do Mundo duas vezes.

Ranking FIFA: 44ª posição

Salah – Egito

O egípcio conquistou a Europa, iniciando essa conquista pelo Basel, passando pelo Chelsea, de onde foi emprestado para a Roma. Com contrato adquirido pelo clube italiano, Salah começou a se destacar virando ídolo na Cidade Eterna.

Isso acabou levando Salah a um contrato no Liverpool. No início parecia uma furada, mas depois Salah tomou conta do time, e seu talento fez com que o time atingisse grandes conquistas nos últimos anos.

Pena para o torcedor da seleção. Coincidência ou não, desde 2011, quando ele começou a jogar pelo Egito, a seleção nunca mais venceu a Copa Africana de Nações, torneio em que é o maior campeão.

Então a seleção egípcia é FLOP porque? Em 2018, Salah levou o Egito a uma COpa do Mundo, coisa que não ocorria desde 1990?

Só que o Egito não demonstra ter o poderio de outrora, muito pelo Salah não repetir as boas atuações com a sua seleção.

Ranking FIFA: 53ª posição

Aubameyang – Gabão

Com passe pertencente ao Milan (mesmo sem nunca ter jogado pelo clube), Auba se enveredou pelo futebol francês até chegar no Saint-Étienne, onde foi campeão da Copa da Liga.

No Borussia Dortmund, foi o goleador do time nas conquistas das Copas da Alemanha.

Hoje atua no Arsenal (uma das contratações mais caras do clube), e é um dos ídolos da torcida dos Gunners.

Já quando o assunto é seleção, a coisa não vai tão boa assim para o AUBA.

Foi convocado para jogar pelas categorias de base na Itália, mas resolveu jogar pela França em um amistoso.

No fim, poderia até jogar pela Espanha, mas resolveu defender o selecionado do Gabão.

Nunca indo a um mundial, o Gabão até chegou perto em 2010 e 2014, mas não conseguiu.

Na Copa Africana de Nações, nunca conseguiu ir além da fase de grupos. Mas AUBA tem história no Gabão: é dele o único gol gabonês em Jogos Olímpicos.

Ranking FIFA: 83ª Posição

Lewandowski – Polônia

Aqui a diferença não é que a seleção da Polônia é muito FLOP, mas Lewandowski que é MUITO TOP.

Robert Lewandowski é um dos melhores atacantes do mundo, com marcas expressivas a cada temporada. Ele é o goleador do Bayern de Munique desde que chegou no time alemão em 2014.

Antes disso, fazia a festa do torcedor do Borussia Dortmund, primeira experiência fora do futebol polonês.

Em 2016, foi o 7º melhor jogador do ano pelo The Guardian, além de ter sido o artilheiro da temporada de 2015.

Todo esse poder nos clubes não se reflete na seleção. Jogando na seleção principal desde 2008, Lewandowski sempre fica no quase com a Polônia, quer seja na Eurocopa, quer seja na Copa do Mundo.

Dos elencos apresentados nessa lista, a Polônia é o menos FLOP (tem como destaques o bom goleiro da Juventus Szczęsny, por exemplo), mas com certeza não conseguem ajudar Lewa a conquistar algo mais pelo seu país dentro de campo.

Ranking FIFA: 19ª Posição

Dzeko – Bósnia

O “diamante” como é chamado em seu país natal vem há muito tempo mostrando seu talento.

Quer seja no Wolfsburg campeão alemão, no Manchester City campeão inglês ou na Roma, onde atua desde 2016.

Em 2009, Dzeko ficou no TOP 30 do prêmio Ballon d’Or.

No quesito seleção, digamos que a Bósnia não é tão FLOP assim, pois esteve no Brasil na Copa do Mundo de 2014 (sua primeira participação como país independente), mesmo que com uma atuação bem abaixo do que apresentou nas eliminatórias.

Apesar disso, Dzeko é o astro do time.

Agora tenta uma vaga na adiada Eurocopa de 2020 (competição também inédita), com o capitão e maior jogador bósnio no comando.

Precisamos destacar as ações de Dzeko fora dos gramados, já que ele é o primeiro bósnio a ser embaixador da UNICEF, pelo seu trabalho com auxílio de crianças e famílias que ainda sofrem as consequências da sangrenta Guerra da Bósnia.

Ranking FIFA: 49ª Posição

Keita – Guiné

O habilidoso meia do Liverpool vem tendo muito sucesso no futebol inglês, sendo campeão de tudo nos últimos anos.

Resgatado da 5ª divisão do futebol francês após olheiros verem seu talento na Guiné, Keita se destacou nos times da Red Bull (Salzburg e Leipzig), em especial na filial alemã, onde teve sua vitrine para o Liverpool.

É uma pena que seu entrosamento na equipe inglesa não seja tão bem aproveitada com se espera na sua seleção.

Sem nunca ter jogado uma Copa do Mundo, a Guiné apenas recentemente vem se classificando para a Copa Africana de Nações, mas nunca passando da primeira fase.

Ranking FIFA: 74ª posição

Mkhitaryan – Armênia

Nascido na antiga União Soviética, na região da atual Armênia, Henrikh Mkhitaryan chegou a treinar nas categorias de base do São Paulo no ano de 2003, ficando só 4 meses no nosso país.

Após isso, consegui se profissionalizar e teve atuações de destaque no Shakhtar Donetsk, no Borussia Dortmund (a contratação mais cara na época), Manchester United (quando venceu a Liga Europa) e o Arsenal.

Só que o atual jogador da Roma não consegue ajudar a sua modesta seleção a dar passos maiores no futebol mundial.

A Armênia, como país independente da antiga URSS, nunca sequer participou de uma Eurocopa ou Copa do Mundo.

Ok, a Armênia quase se classifica para a Eurocopa de 2012, com Mkhitaryan em campo.

Num jogo polêmico contra a Irlanda, em que teve até gol de mão validado para os irlandeses, a Armênia ficou fora do torneio continental.

Ranking FIFA: 102ª posição

Oblak – Eslovênia

Muito do sucesso dos últimos times do Benfica e do Atlético de Madrid passam – literalmente – pelas mãos de Jan Oblak.

O esloveno é um dos melhores goleiros do mundo há alguns anos – ficou no TOP 50 dos melhores jogadores do mundo em 2016, ano que o time de Madrid chegou na final da Champions League – e sempre mostra atuações seguras na meta que defende.

O sucesso nos clubes, no entanto, não consegue ser refletido na sua seleção.

Desde 2012 defendendo as cores do país, Oblak e seus companheiros não conseguem conduzir a Eslovênia a Copa do Mundo e a uma Eurocopa.

Pelo visto vai ser difícil Oblak ajudar seus companheiros de seleção como ajuda os de seu clube.

Ranking FIFA: 63ª colocação

Mané – Senegal

Mais um vindo do atual e vitorioso time do Liverpool, é um astro no seu país, o Senegal.

Sadio sempre atuou no futebol europeu. Começou no modesto Metz, da França, começou a se destacar na Áustria, pelo Red Bull Salzburg, até chegar ao futebol inglês pelo Southampton e, desde 2016, atuando no Liverpool.

Integrante do ataque mais letal do mundo, o senegalês é o grande jogador da Seleção de Senegal que, apesar de ter ido a última Copa do Mundo na Rússia e ter dado trabalho (principalmente para a Polônia), ficou no quase na classificação para as oitavas do mundial e foi vice-campeão na última Copa Africana de Nações.

A diferença entre o jogador TOP e a seleção FLOP aqui não é tão grande quanto o seu companheiro de ataque, mas com certeza é considerável.

Ranking FIFA: 24ª colocação

Marcelo Moreno – Bolívia

Pode parecer esquisito que o boliviano esteja na lista. Marcelo Moreno fica numa outra prateleira em relação aos demais dessa lista – uma bem abaixo, há que se diga.

No entanto, ele pode ser considerado um jogador TOP pela sua carreira dentro do Brasil (Vitória, Grêmio, Flamengo e Cruzeiro) e fora do país (sendo campeão com o Shakhtar Donetsk-UCR e o Werder Bremen-ALE).
Apesar de ser naturalizado brasileiro, e ter jogado nas categorias de base da nossa Seleção, decidiu que teria mais chances na seleção boliviana.

E, realmente, ele se destaca MUITO dos demais.

Só que nem isso consegue tirar a Bolívia das últimas posições dos torneios.

Uma volta a Copa do Mundo (a última vez foi em 1994) é muito improvável a curto prazo.

Agora, de volta ao clube que lhe deu suas maiores glórias no Brasil, ele tem um grande desafio de ajudar a tirar o Cruzeiro do buraco.

Ranking FIFA: 75ª colocação

E aí, que jogador TOP/ seleção FLOP faltou aqui na lista? Comenta aí!

Deixe uma resposta