Os 5 melhores shows do Superbowl

Estamos próximos de mais uma final do futebol americano.

O Superbowl há tempos é um dos eventos esportivos mais assistidos do mundo.

Tem o intervalo mais caro da TV mundial e sempre causa frisson com o Halftime Show, com algum mega astro que precisa fazer um pot-pourri de seu repertório em poucos minutos, enquanto os jogadores descansam para o segundo tempo.

O fato do show ser gigantesco, com tempo contado e dentro do campo do jogo é, sem dúvidas, uma desafio de logística.

Além da definição de local e de quem serão os candidatos ao Troféu Vince Lombardi, o artista do Halftime Show é o anúncio mais esperado.

Separamos nessa postagem 5 dos mais emblemáticos Halftime Shows que deixaram a galera animada entre um e outro tempo do Superbowl:

Antes dos mega shows

No início do jogo, até meados do início da década de 1990, o tal Show do Intervalo não passava de uma mera apresentação sem um apelo muito grande.

Era bem semelhante ao que acontece nos Bowls do College Football (o futebol universitário) com suas bandas marciais.

Com o passar do tempo, as bandas marciais tomaram lugar para apresentações musicais, mas nada muito elaborado – logística, lembra?

Só que esse “problema” foi ignorado por ELE, o Rei do Pop.

Micheal Jackson (Superbowl XXVII)

Ok, nos anos anteriores, New Kids on the Block e Gloria Stefan já haviam se apresentado no intervalo, mas NADA comparado a apresentação de Micheal Jackson no Superbowl XXVII.

Ele simplesmente “saltou” de um lado para outro do Rose Bowl, chegando no meio do palco num instante.

Encerrando a sua apresentação com Heal the World, esse Halftime foi um dos mais assistidos da história, e “subiu” o sarrafo das produções dos Superbowl seguintes.

Em campo, o Dallas Cowboys bateu o Buffalo Bills por 52 a 17.

U2 (Superbowl XXXVI)

Ainda impactados pelos atentados terroristas que ocorreram em solo americano em setembro de 2001, a NFL trouxe Bono Vox e o U2 para transmitir uma linda mensagem de união e força para o país.

E funcionou. Numa das mais emocionantes apresentações do Show do Intervalo, a banda irlandesa cantou “Where The Streets Have No Name”, enquanto uma projeção gigante exibia os nomes das vítimas de 11 de setembro.

Em campo, era visto o primeiro título de Tom Brady e do New England Patriots, que derrotou por 20 a 17 o St. Louis Rams.

Janet Jackson, P. Diddy, Nelly, Kid Rock, and Justin Timberlake (Superbowl XXXVIII)

O mais polêmico Halftime Show de todos contou com grandes artistas dividindo o palco ao mesmo tempo.

O show corria muito bem, e os artistas interagiam muito bem juntos, especialmente Timberlake e Jackson.

Até que, num determinado momento, Justin Timberlake puxa uma peça de roupa de Janet Jackson, o que acaba deixando um de seus seios à mostra.

Em rede nacional.

Dentro de campo, nada de polêmicas. Pelo contrário: viu-se o segundo título dos Patriots (e de Tom Brady), dessa vez sobre o Carolina Panthers, por 32 a 29.

Prince (Superbowl XLI)

Um dos shows mais lembrados pelos fãs do futebol americano foi, sem dúvidas, o de 2007.

Sob uma forte chuva, Prince não arredou o pé do palco e entregou um show memorável – parecendo até que a chuva era parte do espetáculo.

Começando com uma homenagem ao Queen – “We Will Rock You” e encerrando com a mítica Purple Rain, ninguem no Dolphins Stadium sequer ligou para o temporal que caía.

Ja em campo, Payton Manning conduziu o Indianapolis Colts ao título, com um placar de 29 a 17 sobre o Chicago Bears.

Lady Gaga (Superbowl LI)

Num momento político delicado, com a eleição de Donald Trump, esperava-se alguma manifestação política de Lady Gaga em sua apresentação.

Mesmo que discretamente, ela abriu o show do teto do NRG Stadium, em Houston, com drones fazendo a bandeira dos EUA ao fundo.

Aliás, Lady Gaga performou muito, e com tanto elemento de cena, até mesmo as câmeras tinham dificuldade para acompanhar.

No fim, ela provou que pode entregar um show digno de grande espetáculo em um curto intervalo de tempo.

Ridícula, como disse Everaldo Marques na transmissão da ESPN, causando protesto dos fãs que não conheciam o bordão do narrador.

Nas quatro linhas da final, tivemos a primeira prorrogação do Superbowl e a maior virada da história da NFL até então.

No fim, 34 a 28 para os Patriots sobre o Atlanta Falcons.

MENÇÕES HONROSAS

Em 2023, o Show do Intrevalo do Superbowl será com Rihanna, que havia dado uma pausa na carreira por conta de sua gravidez.

E aí? Quais shows te marcaram? Faltou algum na lista? Comenta aí!