Fluxo de caixa ou bola na rede? Que tal OS DOIS?

Como todos nós vemos ultimamente, Palmeiras e Flamengo vem tendo os maiores investimentos do futebol brasileiro.

No entanto, esse investimento ainda não está surtindo efeito esperado pelos times.

O Palmeiras ele até conseguiu um bicampeonato brasileiro e um título da Copa do Brasil com o investimento novo da Crefisa. No entanto, o objetivo principal do Palmeiras é a Taça Libertadores da América, campeonato que vem batendo na trave há alguns anos.

Já o Flamengo vem investindo pesado nos últimos dois anos em reforços que, ultimamente no futebol brasileiro, seriam totalmente impensados: Diego Ribas, de Diego Alves, De Arrascaeta, Gabigol, e os mais recentes, os laterais Rafinha e Felipe Luiz e o treinador Jorge Jesus.

O Mengão chegou até a disputar o título brasileiro por algumas vezes em anos anteriores mas sempre batendo na trave. Idem para Copa do Brasil.

Isso desperta a zueira dos adversários e a ira dos torcedores que chamam de mercenários os jogadores, dirigentes e treinadores quando os resultados não aparecem e quando eles vêm equipes com menos recursos e com mais dívidas conseguindo melhores resultados.

Um exemplo disso é o Corinthians, que foi bicampeão brasileiro e está afundado em dívidas nesse momento – principalmente depois da Arena Corinthians.

Ganhar é bom. Ganhar com as contas em dia é melhor!

Os torcedores desses clubes se questionam se realmente investir mais vale a pena se não ganham títulos.

É óbvio que o torcedor gosta de títulos, mas se o clube não for saneado financeiramente, pode quebrar.

Temos inúmeros casos no nosso futebol: a Portuguesa, afundada em dívidas, tenta desesperadamente manter o seu estádio.

O Guarani, que agora está na Série B, já passou por essa situação, mas não se livrou totalmente dela.

Até clubes da Série A (como o Vasco e o Botafogo), se colocam em situações complicadas, com atrasos de salário e de pagamentos básicos (como água, luz e aluguel).

Ranking de dívidas (Sportsvalue)

1º Botafogo R$ 730,6 milhões
2º Internacional R$ 668,5 milhões
3º Fluminense R$ 629 milhões
4º Atlético-MG R$ 595 milhões
5º Vasco R$ 530,9 milhões
6º Corinthians R$ 476,6 milhões
7º Palmeiras R$ 463 milhões
8º Cruzeiro R$ 445 milhões
9º Santos R$ 407,9 milhões
10º Flamengo R$ 357,5 milhões
Fonte

Para o bem do futebol brasileiro, o ideal é que os clubes possam ter uma educação financeira para, além de investir em jogadores, investir nas categorias de base, em equipamentos, em locais de treinamento e pagamentos de salário, e conseguir os títulos sem precisar de investimentos externos, xeiques árabes ou qualquer coisa do tipo.

Como exemplo de sucesso temos o Athlético Paranaense. É o time que menos tem dívidas – está no azul – e vem mostrando que esse investimento pode sim trazer títulos para o Furacão – que já aconteceu com o título da Copa Sul-Americana.

Logo temos que destacar essa importante equação: o clube dever salário é a pior coisa que o futebol brasileiro pode incentivar.

O futebol é um esporte milionário, mas quando se investe errado não adianta rios de dinheiro.

Educação financeira vale para você, para o seu time vale, para o país.

Então vamos parar com essa ideia de que clube endividado joga melhor. Clube endividado joga na sorte e sorte pode até ajudar a ganhar títulos, mas só isso não é suficiente.


E aí? time em dia, time campeão ou os dois? Comenta aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *