Senna é o piloto mais veloz em 40 anos de Fórmula 1

O eterno tricampeão mundial de F1 Ayrton Senna foi um grande piloto já no seu tempo.

Só que a Amazon Web Services (AWS), empresa responsável pelas informações gráficas da transmissão da Fórmula 1, resolveu ver se o brasileiro se daria bem na categoria atualmente através de análise de dados.

A AWS coletou e tratou dados obtidos de telemetria dos treinos classificatórios desde 1983, criando um algoritmo baseado em técnicas de machine learning.

O Machine Learning é processo em que um sistema computacional reconhece padrões, “aprendendo” com eles para saber que ações tomar quando conjunto de dados semelhantes são apresentados.

Esse estudo comparou os tempos de cada um dos pilotos que já tomaram tempo em treinos classificatórios de 1983 até hoje, totalizando 142 pilotos.

Como a pequisa foi feita

Partiu-se de um deles, seguindo seu companheiro de equipe.

No caso de Senna, ele foi comparado ao seu parceiro na fatídica temporada de 1994, Damon Hill.

Este, foi comparado a Heinz-Harald Frentzen, que, por sua vez, foi comparado a Nick Heidfeld, e assim por diante.

O estudo analisou a “performance pura” de cada piloto, considerando as “velocidades brutas”, baseando-se no padrão dos resultados dos equipamentos usados na época.

Assim, os desempenhos foram interligados, criaram uma rede para determinar quem foi o mais rápido, ignorando os limites tecnológicos, seja de equipamento, seja de regulamento.

A gerente sênior do Amazon ML Solutions Lab, Dra. Priya Ponnapalli, que participou da equipe responsável pela pesquisa, afirma:

“Com o machine learning, há uma série de oportunidades para aplicar a tecnologia para responder a problemas complexos e, neste caso, esperamos ajudar a resolver disputas antigas com os fãs usando dados para informar as decisões”.

O mais rápido

Nessa aferição de dados, Senna foi “mais rápido” que o heptacampeão mundial Michael Schumacher em 0s114.
O atual multicampeão da F1, o inglês hexacampeão Lewis Hamilton, ficou em terceiro, com um tempo 0s275 acima de Senna.

Rob Smedley, diretor de Sistemas de Dados da F1, ficou satisfeito com o resultado – e como o piloto é o “bem” mais valorizado aqui:

“Dentro do ambiente de equipe, esse tipo de modelagem é usado para tomar decisões importantes sobre as escolhas do piloto.

Como os pilotos são, na maioria das vezes, o ativo mais caro da equipe, é importante que o processo de seleção seja o mais robusto possível.

Um processo como este, portanto, seria implantado pela equipe de estrategistas da F1 a fim de apresentar a seleção mais objetiva e baseada em evidências possível.

É importante notar que essa velocidade pura é o único elemento do vasto arsenal de pilotos que estamos analisando aqui, para identificar os mais rápidos de todos os tempos, o que é muito empolgante”

O TOP 10 da lista evidencia a qualidade da “atual safra” da F1, tendo o holandês Max Verstappen e a atual dupla da Ferrari Charles Leclerc e o tetracampeão Sebastian Vettel.

Entre os brasileiros, destaque para Rubens Barrichello (11º), Felipe Massa (21º), Nelson Piquet (40º), Nelsinho Piquet (53º), Enrique Bernoldi (86º), Felipe Nasr (90º) e Roberto Moreno (96º), que figuram o TOP 100.

O lançamento da pesquisa faz parte das comemorações de aniversário de 70 anos da Fórmula 1.

Fonte  e fonte.

Deixe uma resposta