10 esportistas que trocaram de esporte

Não é incomum, no decorrer das nossas vidas, que tomemos rumos diferentes em nossas profissões do que inicialmente planejamos.

A descoberta de vocação após um longo tempo ou aprender um novo ofício.

Isso ocorre também com esportistas.

Na lista abaixo temos dez exemplos de atletas que foram destaque em suas profissões e, ao se aposentarem, decidiram investir em outras modalidades.

Para uns, isso funcionou. Já para outros…

Confira:

Michael Jordan (do basquete para o beisebol)

Um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos resolveu se aventurar após uma grande perda na vida pessoal mudar de ares.

Após colocar o Chicago Bulls como um dos grandes da NBA, deixou o basquete em 1994 após a morte do pai.

Resolveu jogar beisebol, em uma temporada nos times de liga menor (Birmingham Barons e Scottsdale Scorpions), mas acabou voltando a NBA defender os Bulls – e vencer a NBA novamente.

Inclusive esse é o “enredo” de Jordan no filme Space Jam – o Jogo do Século.

Alex Zanardi (do automobilismo ao ciclismo paralímpico)

Grande piloto italiano, que fez sua carreira na Fórmula Indy e foi bicampeão em 1997 e 1998, se arriscou na Fórmula 1, mas não conseguiu o destaque esperado .

Ao voltar ao circuito americano, sofreu um grave acidente em 2001, que lhe amputou ambas as pernas.

Ainda persistiu nas corridas, disputando entre 2005 e 2009 ss campeonatos de WTCC (World Touring Car Champion).

Ao virar ciclista paralímpico, achou um novo esporte vitorioso, sendo um dos grandes por lá também, com 3 ouros e 3 pratas em duas edições dos Jogos Paralímpicos.

Infelizmente em 2020, sofreu um acidente durante prova em que foi atropelado por um caminhão. Internado em estado grave, mostra sinais de recuperação.

Ronda Rousey (do judô ao MMA)

Ronda Rousey colocou o MMA feminino em evidência, fazendo com que o UFC invstisse no esporte. Foi a primeira campeã do Peso Galo da franquia.

Imbatível no MMA, onde estreou em 2010, foi no judô que ela iniciou no mundo das lutas.

Inclusive, foi atleta olímpica, sendo bronze nos Jogos Olímpicos de 2008 em Pequim.

Esteve no Brasil em 2007 e foi campeã panamericana de judô.

Hoje ela está mais para a luta-livre do que para o MMA propriamente dito.

Falcão (do futsal para futebol)

O maior jogador de futsal de todos os tempos, Falcão iniciou sua carreira no futsal em 1991.

Entre grandes feitos, estão os títulos mundiais pré e pós FIFA, e a apoteótica conquista da medalha de ouro no Pan do Rio 2007.

Dois anos antes, no entanto, tentou seguir carreira no futebol de campo, pelo São Paulo, chegando até a jogar a Copa Libertadores, mas o desempenho em campo e atritos com o treinador Leão fizeram a carreira nos gramados ser curta.

Murilo Becker (de futebol para basquete)

Destaque na seleção brasileira de basquete, bicampeão panamericano, Murilo Becker iniciou sua carreira como goleiro de futebol.

No entanto, foi no basquete que ele se destacou.

Coincidência ou não, atualmente Murilo disputa o NBB pelo São Paulo, que reativou recentemente seu time de basquete.

Bob Hayes (do atletismo para o futebol americano)

Nos esportes americanos temos diversos exemplos de jogadores que mudaram de ares.

Um dos mais famosos e vitoriosos foi Bob Hayes.

Antes de vencer o SuperBowl em 1971 com o Dallas Cowboys, Hayes já havia sido vitorioso no atletismo.

Foi campeão olímpico 7 anos antes, nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 1964: nos 100 m e no revezamento 4 x 100 m.

Barthez (do futebol ao automobilismo)

Amante de velocidade, o ex-goleiro campeão do mundo com a França em 1998 Fabian Barthez pendurou as chuteiras em 2007, e no ano seguinte virou piloto de automobilismo.

Entre os campeonatos que participou, um destaque foi as 24h de Le Mans.

Usain Bolt (do atletismo ao futebol)

Depois de virar lenda no atletismo com tricampeonato mundial e olímpico, o jamaicano Usain Bolt tentou seu sonho de infância: ser jogador de futebol.

Fã do Manchester United, Bolt começou atuando pelo Stromsgodset, da Noruega, e em 2018, após passar por treinamento no Borussia Dortmund, jogou no Central Coast Marines, da Austrália, chegando a marcar seu primeiro gol oficial.

No entanto, não convenceu e logo se aposentou.

Anderson (do futebol para o tênis)

Ex-zagueiro de Corinthians, São Paulo e Cruzeiro, após pendurar as chuteiras, Anderson virou tenista.

Ele chegou a voltar ao Corinthians em 2014, mas apenas para um campeonato interclubes de tênis.

Peter Cech (do futebol ao hoquei no gelo)

O goleiro ídolo pelo Chelsea, Arsenal e seleção da República Tcheca, resolveu continuar no esporte após a aposentadoria.

Agora com um capacete que protege mais – ele precisou usar um capacete de rugbi em campo após uma lesão na cabeça, e passou a ser sua marca registrada.

Ingressando no hockey no gelo em um clube inglês, mostrou que ainda é decisivo.

Agora é aposentado de vez, e trabalha como dirigente no Chelsea.

No entanto, por conta da pandemia do COVID19, ele precisou ser inscrito como terceiro goleiro do clube inglês na Premiere League – mesmo que efetivamente não jogue.


Que outro atleta famoso migrou de esporte e se deu bem? Comenta aí!

Deixe uma resposta