Copa do Mundo de… Corrida?

Você aí, corredor profissional, amador ou apenas para deixar o sedentarismo…

Sabia que você pode representar o Brasil num evento mundial?

Desde a última terça-feira está acontecendo a Vitality Running World Cup, uma “Copa do Mundo” de corrida.

Segundo a organizadora:

[…] é o primeiro evento de corrida virtual global […] o maior evento de participação em massa virtual, aberto a todos a partir de 13 anos, onde não importa sua habilidade ou onde você estiver, você pode participar e representar seu país.

Tudo o que você precisa fazer para participar é baixar o aplicativo do evento, se inscrever indicando:

– a que país você irá representar
– o aplicativo de corrida que você irá usar para sincronizar os seus dados da corrida.

Além disso, para que você fique registrado no sistema como “qualificado”, basta correr 3km num período de 30min.

Obviamente, se você puder, pode registrar tempo maior (afinal, mais km corresponde a mais pontos).

Padrinhos

Cada país tem um “padrinho”, que puxa as inscrições – e as corridas – para que sua nação possa se dar bem na competição.

O padrinho mais famoso é, de longe, o da Jamaica. “SÓ” Usain Bolt.

O Brasil tem como representante no evento o atleta paralímpico Geison Rodrigues.

Vamos correr?

A pontuação obtida por um país é calculada por alguns fatores. Entre eles:

– Km corridos qualificados (ou seja, acima de 3km num período de 30min)
– população do país
– taxa de penetração de smartphones no país

Essa fórmula deixa a disputa mais igual, dando chances a países “menores” concorrerem contra países “maiores” territorialmente.

Para que um país se qualifique a eliminatória, é necessário ter, pelo menos, 600 corredores qualificados.

Ou seja, quanto mais pessoas correndo uma distância maior, mais pontos para o país.

A competição tem três rodadas:

Qualificatórias

A primeira já começou desde a última terça – dia 21 de setembro – e vai até o próximo domingo, 26 de setembro.

Os 16 países melhores ranqueados passam para as oitavas-de-final.

Oitavas-de-final

A pontuação dos países é zerada, e as 16 nações disputam, entre 28 de setembro e 3 de outubro, as 4 vagas na grande decisão.

Final

Entre 5 e 10 de outubro, os finalistas novamente tem sua pontuação zerada, e começam a, literalmente, correr atrás do título.

Mesmo que um país não avance de fase, existem sub-metas a serem atingidas.

Entre elas, a doação de vacinas contra a poliomielite para crianças em países carentes, através de parceria com a UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância.

E o Brasilzão?

No momento em que esse post foi publicado (durante a fase eliminatória) o Brasil estava dentro do TOP 16, o suficiente para passar a segunda fase, mas insuficiente para sonhar com a decisão.

E aí, topa esse desafio? Comenta aí!

Deixe um comentário